segunda-feira, 7 de abril de 2014

Muito Além Da “Tolerância social à violência contra as mulheres”

Estrondoso e forte alarme soou após divulgação adjunta de erro da recente pesquisa do Ipea - Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, tanto na mídia como nas redes sociais.

Nas redes sociais o assunto veio com protestos, o mais emblemático com a paradigmática foto para memes, da jornalista Nana Queiroz teve mais de 1.000 replicações. Enquanto na grande mídia o apresentador Datena aproveitava para cumprir a ordem do seu patrão, detonar o Haddad, mas se o instituto é vinculado ao PT, também pode passar o sarrafo.
O apresentador ao entrevistar ao vivo a jornalista, tentou pescar uma possível indignação da jornalista com o fato negativo do Governo fazer esse tipo de pergunta "Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas?", mas na mesma hora levou uma invertida, pois na opinião dela foi ótimo o Governo trazer a baila esse debate, então o representante da Band segurou o veneno para um outro momento.

Facebook Nana Queiroz


Mas, é mais ou menos esse o foco, aproveitando, o Governo não foi as ruas das cinco regiões do país, entrevistar 3.810 pessoas somente com essa pergunta na ponta do lápis, a coisa é muito mais abrangente e além dessa, o estudo apresentou mais 40 questões, as quais sim, trouxeram perplexidades não "exploradas" pela mídia.

O Datena não informou o nome correto da pesquisa, e embora num primeiro momento o instituto tenha informado com erro o resultado de uma das questões, fato que custou a cabeça do diretor Rafael Guerreiro Osorio, a própria Nana Queiroz veio a público afirmar que isso serviu para fazer as mulheres despertarem e que mesmo com os números corrigidos para os 26% continua sendo muito alto.

Voltando ao foco, perturbado pelo repercussão da mídia, o que ficou para trás foi o seguinte:

Em um país continental como o nosso, com uma população de maioria negro e pardo, aonde, alguns setores tentam esconder um existente racismo, fica revelado um número demasiadamente alto:
  
Questão 35) 
Piada de preto é só brincadeira, não é racismo?
38% Soma do Concorda total + Concorda parcial

Numa grande nação aonde 70% da mídia é controlada por seis famílias, outros dados levantados preocupam em muito:

Questão 13/10) 
Acesso ao telefone e à internet?
92% Importância secundária
8% Importância prioritária

A capital paulistana, coração financeiro do país, e cidades vizinhas, já sofrem com a falta de água, não somente pela falta de chuva como afirma a mídia em conjunto com o governador Geraldo Alckmin. A falta desse bem primário se dá também pela total falta de compromisso com a proteção das matas em São Paulo e Minas Gerais, e do que há de mais precioso nelas, as suas nascentes, que formam os córregos que abastecem os rios e represas. Logo os dados revelados também assustam:

Questão 13/6) 
Proteção a florestas, rios e oceanos?
83% Importância secundária
7% Importância prioritária

Questão 13/8) 
Combater as mudanças climáticas?
93% Importância secundária
7% Importância prioritária

Meu Deus do céu!!! Como a liberdade política pode ter tamanha falta de importância? Esses dados nas mãos de golpistas reacionários poderiam reacender novos interesses nem um pouco democráticos:

Questão 13/7) 
Liberdades políticas?
92% Importância secundária
8% Importância prioritária

Dentro da perplexidade vista na mídia e nas redes sociais, com os 65% pró "Mulheres que usam roupas que mostram o corpo merecem ser atacadas" e ainda mesmo com os dados reais pós errata do IPEA de 26%, com o fato de 2/3 dos entrevistados serem do sexo feminino torna esse número ainda expressivo e ainda muito alto: 

Questão 4) 
Sexo do(a) pesquisado(a).
33% Masculino
67% Feminino

Por fim, nota-se que a #mÍDIADECADENTe não se debruçou sobre a pesquisa "Tolerância social à violência contra as mulheres" do Ipea, mas prendeu-se à uma só das 41 questões, com o intuito claro de jogar a população contra o Governo Dilma, levantando a bandeira de que é até imoral uma pesquisa usar a mulher num tema desses promovendo no cidadão essa linha de pensamento, mas o que ficou para trás mesmo nos debates foram dados em potencial assustadores, que para quem vive de golpes não valem a pena destacar.


Fonte

http://www.ipea.gov.br/portal/images/stories/PDFs/SIPS/140404_dicionario_sips.txt

http://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=21971&catid=10&Itemid=9



2 comentários:

  1. Até parece.

    Em que campo de significados o termo ATACAR é igual a ESTUPRAR? O termo não pode significar ABORDAR?

    E mesmo com essa pergunta mal feita, esse percentual seja de 26% de brasileiros.

    Tem mais: ´pesquisa da USP em 2010 fora constatado que maioria defende pena de morte aos estupradores. Por que não confrontar pesquisa do IPEA com a da USP?

    È... é a midia que é golpista mesmo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradeceria se o seu comentário fosse mais claro.

      Excluir